O que você ainda não sabia sobre a cafeína e seus efeitos

Saiba quais são os efeitos da cafeína no organismo e por que funciona mais para algumas pessoas e outras não.

Se você é um atleta, ou desportista, ou mesmo alguém que gosta muito de café, já deve ter ouvido falar dos efeitos da cafeína no organismo para melhorar seu desempenho físico e mental.

Os efeitos da cafeína são diferentes de uma pessoa para outra.

Isso é um relato muito freqüente em consultório. Tenho pacientes que não conseguem dormir bem, se ingerirem 2 xícaras de café ainda durante o dia, enquanto outros não relatam efeito colateral algum.

efeitos da cafeína no organismo

Por que os efeitos da cafeína no organismo são tão individuais?

Bem, como você pode imaginar, a resposta é complexa.

O impacto da cafeína, tanto em nossas vidas diárias, como durante o exercício, é regido por diferentes fatores.

Um desses fatores é a velocidade pela qual a cafeína é absorvida – por exemplo, a cafeína da “goma” tende a ser absorvida mais rapidamente do que a cafeína a partir de uma bebida , devido ao maior tempo de contato com o revestimento da boca.

O conteúdo do estômago pode diminuir ainda mais a absorção de cafeína e , se o estômago estiver cheio essa absorção piora ainda mais.

As dicas para efeito da cafeina no emagrecimento e melhor desempenho

1) Ingestão

Use a cafeína com pouca ou nenhuma comida no estômago.

2) Experimente outras formulações

É mais interessante apostar em algumas formulações que disponibilizam a cafeína para ser absorvida pelo epitélio da boca.

A mesma quantidade de cafeína pode levar a respostas variadas entre os indivíduos, isto porque a degradação da cafeína (metabolismo) em nossos corpos difere.

Isso acontece, porque a quantidade de receptores para cafeína é diferente entre cada indivíduo.

A variação em dois genes, chamado CYP1A2 e ADORA2A, é responsável pelo mecanismo como nossos corpos quebram a cafeína, e uma pequena mudança nesses genes pode predispor as pessoas a serem “rápidos” ou “lentos” metabolizadores da cafeína.

Se você é um metabolizador rápido, os efeitos da cafeína no organismo devem durar pouco tempo – o que parece negativo num primeiro momento, mas pode ser benéfico quando pensamos em atividades de curta duração.

Em estudo recente, pesquisadores observaram que indivíduos que metabolizam a cafeína rapidamente, apresentaram aumento de desempenho com doses mais elevadas ( em torno de 6mg/Kg/d).

efeitos da cafeína no organismo

O segundo gene que pode afetar a quantidade de cafeína e o nosso desempenho é o ADORA2A.

Um único estudo, a partir de 2015, observou que esse gene afetou o desempenho após o uso de cafeína, aumentando o limiar de fadiga.

A variação neste gene, também pode estar ligada a ansiedade e a qualidade do sono, o que também pode afetar o desempenho esportivo.

Mas os genes não são tudo e, as diferenças em nosso ambiente também contribuem para a resposta interindividual ao uso de cafeína. Estes incluem tabagismo, ingestão de vegetais, estágio do ciclo menstrual e status de treinamento.

3) Atenção aos períodos e doses

O uso de cafeína na mulher durante a primeira fase do ciclo menstrual, também chamada fase estrogênica, traz maiores benefícios para o rendimento esportivo.

Diferenças relacionadas a dose, o tempo e a fonte de cafeína também impacta o desempenho.

4) Praticantes de atividades físicas X Sedentários

Os efeitos da cafeína são muitas vezes superiores em praticantes de atividade física do que em sedentários.

Portanto, é claro que um grande número de fatores relacionados a cafeína podem afetar o desempenho.

Estes se encaixam amplamente em três categorias; genética, ambiental (ou seja, não genética) e epigenética (alterações na expressão genética que não são causadas por alterações no código genético subjacente).

Esta variação interindividual é tão clara e tão bem replicada, que ainda temos recomendações de cafeína muito amplas e padronizadas: 3-9 mg / kg, tomadas 60 minutos antes da atividade física.

Isso significa que há uma incompatibilidade entre o que sabemos – a resposta à cafeína é altamente individualizada.

5) Faça um teste genético

Testes genéticos de ponta realizados na Clínica Solano podem definir como será sua resposta ao uso de cafeína.

A dose certa no momento certo e para o paciente certo podem fazer a diferença.

O acompanhamento com um nutrólogo é indispensável para definir as doses e os períodos corretos para cada paciente.

Confira como é uma consulta com um médico nutrólogo:

Se você ainda tiver dúvidas de como realizamos o nosso trabalho, clique aqui ou no botão abaixo e marque uma consulta conosco!

marque sua consulta
Será um prazer lhe ajudar no tratamento.

Grande abraço!
Dr Luiz Gustavo Solano
Médico Nutrólogo
CRM 106353 I RQE 55075

Autor: Dr. Luiz Gustavo Rosa Solano

Médico Nutrólogo (CRM 106353 I RQE 55075) e Diretor Clínico da Clínica Solano em Sertãozinho–SP e Ribeirão Preto–SP